Serviço de Animação Litúrgica cruz WhatsApp: (17) 3512-9014
[email protected]


ATENDIMENTO
de 2ª - 6ª das 13:30 - 17:30
 
 
QUEM SOMOS   |   ARTIGOS SERGINHO VALLE   |   PEDAGOGIA DO MÊS   |   DIRETÓRIO LITÚRGICO   |   DEPOIMENTOS   |   FALE CONOSCO
 
 

XXII - 2022

Acesso às Propostas

Renove, assine, faça seu pedido ou faça download das propostas aqui:
Esqueceu sua senha?
Clique aqui
Ainda não tem cadastro?
Clique aqui

Confirmar Pagamento

Enviar Confirmação

Avisos

PROPOSTAS DE DEZEMBRO DE 2022

Comunicamos que :

As propostas de DEZEMBRO/22 já ESTÃO DISPONÍVEIS
NO SISTEMA. 
 
Para renovar, fazer nova assinatura ou pedidos avulsos
clique em um dos links, lembrando que se já cliente, adicione
código de acesso junto ao NOME.
 
 
ASSINATURA ANUAL:
 
ASSINATURA SEMESTRAL : 
 

PROPOSTA AVULSA (UMA): 
Clique aqui

PROPOSTA (DOIS 1ºs DOMINGOS):
Clique aqui

PROPOSTAS (DOIS UTMS DOMINGOS): 
Clique aqui

CELEBRAÇÃO PENITENCIAL ADVENTO
Clique aqui

NATAL DO SENHOR
Clique aqui

Ou

FAÇA PEDIDO POR PIX,  DEPÓSITO TRADICIONAL, QR code:

- Número PIX: 44359918968;
- DEPÓSITO TRADICIONAL: 
Bradesco: ag 0023; cc 0131805-5
titular: Sergio Francisco Valle
Brasil: ag 0076-0 ; cc 9086-7 -
titular: Rosane Almada da Silva
-QRCode -  Aponte a camera
do seu app do BANCO
para nosso QR code abaixo:
 
 
 
Opção: PIX, Depósito
em banco ou QRCode
envie-nos comprovante
por e-mail ou por whatsapp:
*[email protected] ;  
*17-35129014
 

Paz e Bem!
Ana
   

 

veja todos

Diretório Litúrgico


Diretório Litúrgico 

O Ano Litúrgico

A Liturgia...
Leia Mais

veja todos

 

Celebrações Especiais

Missa de Bodas Matrimoniais
Leia Mais

Novena do Padroeiro
Leia Mais

Semana vocacional - Grupos
Leia Mais

Semana vocacional - Liturgia da Palavra
Leia Mais

 
Tempo Pascal
23 de março de 2013

Tempo Pascal, tempo de fé

Um mês inteiro para proclamar com nossas celebrações a Fé na Ressurreição de Jesus. É assim que podemos caracterizar o mês de abril de 2013, no contexto do “Ano da Fé”. Um mês totalmente pascal que, em certo sentido, pode ser definido também como puramente pascal, considerando o conjunto das celebrações feriais e dominicais. 

As celebrações de abril começam com os Domingos das Aparições, formados pelo Domingo da Páscoa, mais o 2º e o 3º Domingos pascais. São celebrações do encontro da Igreja que caminha nas estradas do mundo, com o Senhor ressuscitado, quando ele dá as últimas instruções de como se deve testemunhar o Evangelho. Os outros Domingos Pascais, celebrados em abril, fazem memória do discipulado que se orienta na fé, à luz do Evangelho. 

“Creio, Senhor, mas aumentai minha fé” 
O primeiro contato com a realidade pascal considera a necessidade de manter acesa a chama da fé, mesmo quando o Senhor não está mais visível entre nós e as desconfianças começam a crescer. Os celebrantes do 2º Domingo da Páscoa são postos diante da última bem-aventurança de Jesus: “bem-aventurados os que crêem mesmo sem ver” (Jo 20,29). O entusiasmo evangelizador da primeira comunidade cristã, com o passar do tempo, cede lugar aos desafios do dia a dia, inclusive com perseguições e martírios. Para não ceder era importante crer — mesmo sem ver — que Jesus é o Filho do Homem, o vitorioso da morte. É um Domingo que proclama o conteúdo central da pregação evangelizadora: a Ressurreição de Jesus. Quem nela crer sem exigir sinais, enquanto provas concretas, é um bem aventurado, garante Jesus. É uma celebração, na qual a Igreja eleva a mesma prece de Tomé: “creio, Senhor, mas aumentai minha fé”.  

A aparição de Jesus aos Apóstolos e discípulos, reunidos no Cenáculo, tinha a finalidade de confirmar a fé na presença do Senhor, em todas as circunstâncias e na realidade da não visibilidade de Jesus, depois de sua ressurreição. Era essa fé que fortalecia os primeiros cristãos, nos momentos de maior dificuldades. Eles eram perseguidos e agredidos por causa de sua fé. Mas isso não era motivo para desistir ou abandonar a missão evangelizadora. Em vez de desanimarem, a agressão social e aquela religiosa e política, os tornava cada vez mais encorajados a viver e testemunhar o Evangelho. Também a adoração ao Cordeiro Imolado, o Cordeiro vitorioso, que São João descreve no Apocalipse (2L do 3DTPC), torna-se fonte de fé nas dificuldades, especialmente aquela fé que só pode desenvolver-se no amor e amando.  

Tempo para o discipulado, na fé 
Uma vez concluído os Domingos das Aparições, os demais Domingos que completam o Tempo Pascal são dedicados ao discipulado como resposta ao seguimento de Jesus, na fé e pela fé. De fato, o discipulado só acontece pela fé em quem se deixa conduzir pela voz do Bom Pastor. O 4º Domingo da Páscoa, conhecido também como “Domingo do Bom Pastor”, evidencia que não existe discipulado sem fé, porque não existe discipulado sem o acolhimento da Palavra do Bom Pastor que conduz à vida eterna. Por vida eterna entende-se a participação na vida divina, e isto pode acontecer já nesta vida terrena. A morte física rompe relacionamentos humanos com outras vidas humanas, mas não rompe o relacionamento com a vida divina, pois esta é eterna. Por isso, já vive a vida eterna quem se faz “ovelha” (entra no discipulado de Jesus), uma vez que participa da vida do Pastor, que sempre doa a sua vida eterna.  

A Igreja tem a missão de, não somente semear e implantar a fé, mas também confirmar a fé de seus filhos e filhas que se tornaram discípulos e discípulas de Jesus. Confirmar a fé significa fortalecer os membros da Igreja nos momentos de desanimo, nas crises de fé, diante de desafios que ameaçam a fé... A confirmação da fé, na vida dos discípulos e discípulas de Jesus, é parte da missão da Igreja, celebrada no 5º Domingo do Tempo Pascal, para que os seguidores do Evangelho não se deixem vencer pelos desafios, medos e agressividades de quem não partilha a mesma fé ou, até mesmo, se mostram agressivos e desrespeitosos para com quem a acolhe. Este 5º Domingo do Tempo Pascal tem também a finalidade de apresentar a conseqüência existencial de quem permanece firme e confirmado na fé. Faz isso proclamando o Evangelho da glorificação trinitária, da qual o discípulo e discípula de Jesus, participam. Por isso, assim como o Pai glorifica o Filho devotando-lhe todo o seu amor pela Ressurreição e Ascensão, o Espírito Santo glorifica Jesus conduzindo os discípulos e discípulas ao conhecimento da Verdade para produzir frutos da Verdade. A Verdade é o Evangelho de Jesus.

(Serginho Valle)

 

Download
Tags: Tempo Pascal - C

VOLTAR