Serviço de Animação Litúrgica cruz WhatsApp: (17) 3512-9014
[email protected]


ATENDIMENTO
de 2ª - 6ª das 13:30 - 17:30
 
 
QUEM SOMOS   |   ARTIGOS SERGINHO VALLE   |   PEDAGOGIA DO MÊS   |   DIRETÓRIO LITÚRGICO   |   DEPOIMENTOS   |   FALE CONOSCO
 
 

XXII - 2022

Acesso às Propostas

Renove, assine, faça seu pedido ou faça download das propostas aqui:
Esqueceu sua senha?
Clique aqui
Ainda não tem cadastro?
Clique aqui

Confirmar Pagamento

Enviar Confirmação

E-book's

Pastoral Lit├║rgica, uma proposta um caminho

Para adquirir este ou outros e-book's, acesse a central do assinante e faça o seu pedido

Avisos

PROPOSTAS DE SETEMBRO DE 2022

Comunicamos que :

As propostas de SETEMBRO/22 já ESTÃO DISPONÍVEIS
NO SISTEMA. 
 
Para renovar ou fazer nova assinatura,
clique em um dos links, lembrando que para RENOVAÇÃO (caso saiba), adicione
código de acesso junto ao NOME.
 
 
ASSINATURA ANUAL:
 
ASSINATURA SEMESTRAL : 
 
Ou, Renove por PIX,
depósito tradicional, QRcode:    
 
- Número PIX: 44359918968;
- DEPÓSITO TRADICIONAL: 
Bradesco: ag 0023; cc 0131805-5
titular: Sergio Francisco Valle
Brasil: ag 0076-0 ; cc 9086-7 -
titular: Rosane Almada da Silva
-QRCode -  Aponte a camera
do seu app do BANCO
para nosso QR code abaixo:

 
 
Opção: PIX, Depósito
em banco ou QRCode
envie-nos comprovante
por e-mail ou por whatsapp:
*[email protected] ;  
*17-35129014
 

Paz e Bem!
Ana
   

 

veja todos

Diretório Litúrgico


Diretório Litúrgico 

O Ano Litúrgico

A Liturgia...
Leia Mais

veja todos

 

Celebrações Especiais

Missa de Bodas Matrimoniais
Leia Mais

Novena do Padroeiro
Leia Mais

Semana vocacional - Grupos
Leia Mais

Semana vocacional - Liturgia da Palavra
Leia Mais

 
Celebrar a esperan├ža
27 de junho de 2015
Celebrar a esperança
 
A vida ensina que ao olhar para o futuro é prudente colocar os pés no chão, pensar no presente. Por isso, as preparações de nossas celebrações e o modo como celebramos precisam ser iluminadas por perguntas como: o que vemos em nossos dias? O que vivemos no momento presente? Longe de alienar, cada celebração deve anima a esperança provocando uma reflexão sobre a vida presente. Não celebramos para alienar, mas para iluminar o presente com a força da esperança.
            Em meio as tantas crises que vivemos em nossos tempos, com tantas ameaças rodeando-nos de todos os lados, não podemos celebrar de modo alienado, mas dentro da nossa realidade de crise, de corrupção, com o assalto que políticos e empresários fizeram (e fazem) ao nosso povo. Mesmo que seja revoltante, a celebração litúrgica jamais apaga a luz da esperança. O provérbio bíblico, “quem semeia vento colhe tempestades” (Pv 22,8), é um sinal de alerta em todas as celebrações. Não para se ficar inerte, mas para enfrentar os desmandos contra o povo de modo sóbrio e sem a violência destruidora.
            Cada vez mais fica claro que a sociedade está sedenta de paz, de fraternidade e repudia abertamente todos os focos de fanatismos que provocam mortes, destruições e corrupção. O povo confiou seu destino a homens e mulheres que, talvez, tivessem boas intenções e fossem sinceros antes de assumirem seus mandatos políticos. Mas eles fracassaram diante do ídolo econômico. A tentação de ser rico abafou seus ideais, a possibilidade de viver na riqueza impediu que olhassem o povo e se voltassem egoisticamente para si. Sim, o povo foi traído e hoje querem que paguemos os erros daquela gente que perdeu o caráter e manchou a vida com o lodo da corrupção. Tudo isso aparece em nossas celebrações, não para fomentar a raiva e o ódio, mas para repudiar o pecado social e a ganância que mata o pobre. Celebrar a esperança é denunciar profeticamente o veneno que mata a vida de milhões de pessoas.
            Tantas vezes, ouvimos e cantamos em nossas celebrações a esperança que nos move para ir a Jerusalém, a cidade da paz. Onde está essa Jerusalém, “cidade da paz”, que tanto fala a Bíblia? — Em nossas celebrações, não se trata de um local geográfico, mas de uma cidade (uma sociedade) a ser construída. Nossas celebrações sempre cantam a esperança que um dia, já aqui na terra, poderemos habitar na Jerusalém, na “cidade da paz”. Uma cidade que será iluminada pela luz do Evangelho, fundamentada na justiça, na fraternidade e na paz entre todos os povos. Hoje, neste tempo de crise, somos peregrinos e construtores da Jerusalém, da “cidade da paz”. Lembremos o pensamento do Sl 127: “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.” Nós celebramos esta fé e esta esperança de que somente com a luz divina podemos construir uma cidade nova, uma sociedade mais justa e mais fraterna.
(Serginho Valle)
Download
Tags: esperan├ža, corrup├ž├úo

VOLTAR