Serviço de Animação Litúrgica cruz WhatsApp: (17) 3512-9014
liturgia@liturgia.pro.br


ATENDIMENTO
de 2ª - 6ª das 13:30 - 17:30
 
 
PÁGINA INICIAL  |  QUEM SOMOS  |  ARTIGOS SERGINHO VALLE  |  PEDAGOGIA DO MÊS  |  DIRETÓRIO LITÚRGICO  |  FALE CONOSCO
 
 

XXI - 2021

Acesso às Propostas

Renove, assine, faça seu pedido ou faça download das propostas aqui:
Esqueceu sua senha?
Clique aqui
Ainda não tem cadastro?
Clique aqui

Confirmar Pagamento

Enviar Confirmação

E-book's

Pastoral Lit├║rgica, uma proposta um caminho

Para adquirir este ou outros e-book's, acesse a central do assinante e faça o seu pedido

Avisos

PROPOSTAS AGOSTO DE 2021

 Comunicamos que 

As propostas de AGOSTO/21 JÁ ESTÃO DISPONÍVEIS NO SISTEMA.
 
Se não estiver conseguido acesso é possível que sua assinatura tenha expirado. Fale conosco!!
 
Estamos operando com nova plataforma para BOLETO/CARTÃO: ASAAS. 
 
Temos também a transferencia por PIX.
 
Número PIX: 443.599.189-68.
 
Ou aponte a camera do seu app do BANCO para nosso QR code abaixo:
 
 
QRCode Pix Sal
 
Não esqueça de avisar por e-mail liturgia@liturgia.pro.br 
quando optar pelo QR code. Neste caso, informe seu código de asssinante e seu banco. Qualquer dúvida comunique!
Att.
Ana
 17-35129014
veja todos

Diretório Litúrgico


Diretório Litúrgico 

O Ano Litúrgico

A Liturgia...
Leia Mais

veja todos

 

Celebrações Especiais

Missa de Bodas Matrimoniais
Leia Mais

Novena do Padroeiro
Leia Mais

Semana vocacional - Grupos
Leia Mais

Semana vocacional - Liturgia da Palavra
Leia Mais

 
Pedagogia de setermbro 2015
29 de agosto de 2015

Esperança e discipulado 

            Neste mês que a Igreja do Brasil dedica um olhar especial para a Sagrada Escritura, considerando setembro como sendo o “Mês da Bíblia”, a Palavra presente nas celebrações nos convoca a uma renovação total de nossas vidas.
 
Profecia da esperança e discipulado
O ponto de partida é o reconhecimento que “ele (Jesus) tem feito bem todas as coisas” (23DTC-B). Um reconhecimento que se transforma em profecia de esperança em favor da vida machucada, especialmente a vida dos mais pobres de nossa sociedade, neste tempo de crise. Um tempo para renovar a fé, com alegria e com confiança, pois o agir de Jesus, revitalizando a vida incapaz de se comunicar volta a acontecer entre nós. O início das celebrações, neste mês, portanto, celebra a força da esperança e professa que a força da vida é mais forte que as ameaças da morte (23DTC-B).
            É interessante perceber como a decisão de se colocar a serviço do projeto divino atrai a agressividade social. Isto acontece porque existe uma espécie de aversão contra o projeto divino em nosso meio. Diante de tal fato, é necessário uma decisão, porque quem não for capaz de tomar a Cruz não terá condições de ser discípulo e discípula de Jesus (24DTC-B). A condição para que o discipulado aconteça na vida de uma pessoa resume-se na aceitação da Cruz de Jesus. Cruz como sinal da aceitação do projeto divino, que por ela passa e, como sinal das adversidades que todo discípulo e discípula precisam assumir ao ingressar no caminho do discipulado.
 
Conseqüências do discipulado
            Depois de Jesus propor, com a cura do surdo-mudo a necessidade de se libertar de formas comunicativas que nos ensurdecem para a fraternidade (23DTC-B), e convidar para seu seguimento, no caminho do discipulado (24DTC-B), a Liturgia traz  algumas conseqüências do discipulado que livremente se comunica e livremente enfrenta as adversidades. A primeira delas consiste na necessidade de mudar a mentalidade, para se tornar simples e fraterno como as crianças (25DTC-B). E, neste movimento de conversão, é que nos deparamos com um fato: o estilo de vida do justo sempre incomoda o ímpio, aqueles que vivem distantes de Deus. Um incômodo transformado em agressão contra o justo por ele depositar em Deus a proteção de sua vida. Diante de tais fatos, a proposta é reagir com simplicidade, com fé e com a coragem dos que confiam em Deus
Como viver, então, de modo justo numa sociedade agressiva? Eis uma segunda conseqüência: cultivando a paz interior, dedicando-se ao serviço na fraternidade e vivenciando a simplicidade das crianças (25DTC-B). É com tais características que nos tornamos discípulos e missionários do Evangelho. Isto vem ao encontro do desejo de Moisés que cada membro do povo tivesse em si o Espírito Santo. Isto é, vivesse movido pelo Espírito divino (26DTC-B). Com isso, concluímos as celebrações deste mês com um projeto de vida bem cristão, que pode ser resumido no seguinte pensamento: pelo Batismo recebemos o dom da profecia e a missão de testemunhar a vontade divina através da vida cotidiana como discípulos e missionários do Evangelho.
 
Concluindo
 Setembro, “Mês da Bíblia”, é uma oportunidade para ajudar nossos celebrantes a tomarem consciência de que o projeto divino acontece no mundo, por meio da Igreja, dos pastores que estão à sua frente e de todos os que se fazem discípulos e discípulas do Senhor por se deixarem conduzir pelo Espírito Santo de Deus. Em conseqüência, podemos dizer que o melhor modo de celebrar o “Mês da Bíblia” é acolhendo a Palavra de Deus com o propósito de nos fazer discípulos e discípulas de Jesus Cristo, nosso Mestre.
Serginho Valle
 
Download
Tags: esperan├ža, discipulado, profecia, simplicidade

VOLTAR