Serviço de Animação Litúrgica cruz WhatsApp: (17) 3512-9014
[email protected]


ATENDIMENTO
de 2ª - 6ª das 13:30 - 17:30
 
 
QUEM SOMOS   |   ARTIGOS SERGINHO VALLE   |   PEDAGOGIA DO MÊS   |   DIRETÓRIO LITÚRGICO   |   DEPOIMENTOS   |   FALE CONOSCO
 
 

XXII - 2022

Acesso às Propostas

Renove, assine, faça seu pedido ou faça download das propostas aqui:
Esqueceu sua senha?
Clique aqui
Ainda não tem cadastro?
Clique aqui

Confirmar Pagamento

Enviar Confirmação

Avisos

PROPOSTAS DE DEZEMBRO DE 2022

Comunicamos que :

As propostas de DEZEMBRO/22 já ESTÃO DISPONÍVEIS
NO SISTEMA. 
 
Para renovar, fazer nova assinatura ou pedidos avulsos
clique em um dos links, lembrando que se já cliente, adicione
código de acesso junto ao NOME.
 
 
ASSINATURA ANUAL:
 
ASSINATURA SEMESTRAL : 
 

PROPOSTA AVULSA (UMA): 
Clique aqui

PROPOSTA (DOIS 1ºs DOMINGOS):
Clique aqui

PROPOSTAS (DOIS UTMS DOMINGOS): 
Clique aqui

CELEBRAÇÃO PENITENCIAL ADVENTO
Clique aqui

NATAL DO SENHOR
Clique aqui

Ou

FAÇA PEDIDO POR PIX,  DEPÓSITO TRADICIONAL, QR code:

- Número PIX: 44359918968;
- DEPÓSITO TRADICIONAL: 
Bradesco: ag 0023; cc 0131805-5
titular: Sergio Francisco Valle
Brasil: ag 0076-0 ; cc 9086-7 -
titular: Rosane Almada da Silva
-QRCode -  Aponte a camera
do seu app do BANCO
para nosso QR code abaixo:
 
 
 
Opção: PIX, Depósito
em banco ou QRCode
envie-nos comprovante
por e-mail ou por whatsapp:
*[email protected] ;  
*17-35129014
 

Paz e Bem!
Ana
   

 

veja todos

Diretório Litúrgico


Diretório Litúrgico 

O Ano Litúrgico

A Liturgia...
Leia Mais

veja todos

 

Celebrações Especiais

Missa de Bodas Matrimoniais
Leia Mais

Novena do Padroeiro
Leia Mais

Semana vocacional - Grupos
Leia Mais

Semana vocacional - Liturgia da Palavra
Leia Mais

 
Bíblia: fonte da sabedoria existencial
30 de agosto de 2019

Bíblia: fonte da sabedoria existencial

O mês de setembro, dedicado à Bíblia, apresenta uma pedagogia muito sugestiva para favorecer nos celebrantes o carinho para com a Palavra de Deus, presente na Bíblia Sagrada. É esta mesma Palavra que irá abrir os olhos dos celebrantes para compreender que Deus não condena as riquezas, mas a falta de generosidade, o egoísmo e a corrupção que deixa o pobre morrer de fome. Condena o bem que pode ser feito com as riquezas, mas não se faz.
 
Palavra é para ser ouvida e seguida
No que toca a acolher a Palavra de Deus na vida pessoal, um incentivo forte se faz presente no primeiro Domingo de setembro (22DTC-C), num contexto celebrativo que convida a ouvir a Palavra para viver fazendo a vontade de Deus em todos os momentos da vida. A Palavra de Deus é apresentada como voz que convoca a viver o projeto divino e, para isso, a necessidade de cultivar a humildade e a simplicidade próprias de que não vive em busca dos primeiros lugares.
A consequência de ouvir e se fazer obediente ao projeto divino conduz ao discipulado, que acontece pelo seguimento de Jesus (23DTC-C). O Evangelho do 23DTC-C pede um discernimento profundo a quem deseja se colocar no caminho do discipulado, não unicamente pela exigência de deixar tudo, mas a necessidade de deixar tudo para transformar o Evangelho (Bíblia) em fonte de sabedoria divina para a vida humana. A Bíblia, portanto, como fonte da sabedoria existencial.
Tem outro dado considerável no aspecto da valorização da Palavra de Deus na proposta celebrativa do 23DTC-C: a importância da direção espiritual na vida de quem sente o desejo de se fazer discípulo e discípula de Jesus. Para isso, a Bíblia Sagrada, como é de se supor, assume a dimensão de fonte, pois a Palavra de Deus alimenta a vida espiritual pela meditação e pela reflexão cotidiana da Palavra.
 
Deixar-se encontrar por Deus
A Bíblia Sagrada enquanto Palavra de Deus tem outro aspecto importante na pedagogia desse mês de setembro: a dimensão do se deixar encontrar por Deus. Isto supõe que existem desvios, mudança de caminhos, mudanças no modo de pensar que conduzem à perdição. O 24DTC-C celebra a misericórdia divina, porque para Deus nada e ninguém está perdido; Deus sempre pode encontrar tudo e, quando encontra, festeja a alegria do encontro e da volta. Nós até podemos nos esconder de Deus, desaparecer da sua vista por um tempo, mas ele, qual Pai bondoso, sempre sai em busca da ovelha perdida, sempre varre a casa para encontrar a moeda (o valor) da vida, sempre espera o retorno do filho pródigo. Deus sempre acolhe e encontra.
 
Generosidade e riqueza
Os dois últimos Domingos de setembro convidam a refletir o relacionamento que o discípulo e discípula de Jesus com a riqueza. Para isso ilumina a reflexão com a luz da generosidade. Jesus não condena a riqueza, nem o dinheiro e nem os bens materiais, mas lhe dá um sentido pelo cultivo da generosidade e da partilha.
O primeiro elemento encontra-se no 25DTC-C convidando a educar o coração à generosidade, especialmente a generosidade para com os mais pobres. Quem cultiva no coração o desejo da riqueza perde o sentimento da generosidade e torna-se indiferente diante do sofrimento de quem padece. Pior que isso, como aconteceu com o rico que se banqueteava todos os dias, não consegue ver a fome de alguém que está à sua porta. Quem se faz generoso, encontra-se com Deus na partilha do pão e na partilha da vida, presente na pessoa do pobre. A importância de cultivar a generosidade começa pelo desapego das riquezas.
O segundo elemento da relação do discípulo e discípula para com a riqueza assinala o risco e o perigo de se corromper, tornar-se corrupto. O 26DTC-C alerta para o fato que a corrupção parece estar continuamente diante dos olhos de quem se deixa seduzir pela riqueza. Uma sedução que cega, que perde o olhar fraterno para com os mais pobres, diferente do olhar divino que conhece o pobre pelo nome: Lázaro. A afronta ao pobre é a grande crítica que a Bíblia faz aos ricos. Deus não condena a riqueza, mas a indiferença para com os pobres; uma indiferença tamanha a ponto de permitir que morram por causa do pecado da ganância.
Serginho Valle
Julho de 2019
 
Download

VOLTAR