Serviço de Animação Litúrgica cruz WhatsApp: (17) 3512-9014
[email protected]


ATENDIMENTO
de 2ª - 6ª das 13:30 - 17:30
 
 
QUEM SOMOS   |   ARTIGOS SERGINHO VALLE   |   PEDAGOGIA DO MÊS   |   DIRETÓRIO LITÚRGICO   |   DEPOIMENTOS   |   FALE CONOSCO
 
 

XXII - 2022

Acesso às Propostas

Renove, assine, faça seu pedido ou faça download das propostas aqui:
Esqueceu sua senha?
Clique aqui
Ainda não tem cadastro?
Clique aqui

Confirmar Pagamento

Enviar Confirmação

Avisos

PROPOSTAS DE DEZEMBRO DE 2022

Comunicamos que :

As propostas de DEZEMBRO/22 já ESTÃO DISPONÍVEIS
NO SISTEMA. 
 
Para renovar, fazer nova assinatura ou pedidos avulsos
clique em um dos links, lembrando que se já cliente, adicione
código de acesso junto ao NOME.
 
 
ASSINATURA ANUAL:
 
ASSINATURA SEMESTRAL : 
 

PROPOSTA AVULSA (UMA): 
Clique aqui

PROPOSTA (DOIS 1ºs DOMINGOS):
Clique aqui

PROPOSTAS (DOIS UTMS DOMINGOS): 
Clique aqui

CELEBRAÇÃO PENITENCIAL ADVENTO
Clique aqui

NATAL DO SENHOR
Clique aqui

Ou

FAÇA PEDIDO POR PIX,  DEPÓSITO TRADICIONAL, QR code:

- Número PIX: 44359918968;
- DEPÓSITO TRADICIONAL: 
Bradesco: ag 0023; cc 0131805-5
titular: Sergio Francisco Valle
Brasil: ag 0076-0 ; cc 9086-7 -
titular: Rosane Almada da Silva
-QRCode -  Aponte a camera
do seu app do BANCO
para nosso QR code abaixo:
 
 
 
Opção: PIX, Depósito
em banco ou QRCode
envie-nos comprovante
por e-mail ou por whatsapp:
*[email protected] ;  
*17-35129014
 

Paz e Bem!
Ana
   

 

veja todos

Diretório Litúrgico


Diretório Litúrgico 

O Ano Litúrgico

A Liturgia...
Leia Mais

veja todos

 

Celebrações Especiais

Missa de Bodas Matrimoniais
Leia Mais

Novena do Padroeiro
Leia Mais

Semana vocacional - Grupos
Leia Mais

Semana vocacional - Liturgia da Palavra
Leia Mais

 
Perdoar e crer
29 de agosto de 2020

 Perdoar e crer

 A pedagogia litúrgica de setembro considera dois temas: perdão e fé atuante. O perdão aparece nos dois primeiros Domingos de setembro, 23DTC-A e 24DTC-A. O tema da fé atuante nos dois últimos Domingos de setembro: 25DTC-A e 26DTC-A.
Sendo setembro mês temático, dedicado à Bíblia Sagrada, a vivência do perdão e o empenho para atuar e trabalhar na vinha do Senhor serão relacionados e compreendidos como apelos da voz da voz divina presente no Livro Santo, que fala em nossas assembleias.
 
Perdão, medida do amor
A dinâmica do perdão é imprescindível na vida cristã. Deus é apresentado, em toda a Sagrada Escritura, como Deus perdoador. Perdoa porque é misericordioso, compassivo, sabe que somos vulneráveis e caímos no pecado. Deus, diz a Bíblia, sente-se ofendido pelo pecado. Para Deus, contudo, o mais importante não é a ofensa feita a ele e sim o que o pecado causa em nossas vidas: o perigo da morte, o risco de perder a vida. Disso, a atitude fraterna de ajudar o outro a não cair no pecado. O 23DTC-A diz que não somos juízes do outro para julgar se ele está ou não caminhando em estradas da vida, mas responsáveis para que o outro não entre no caminho da morte. Isto faz compreender que o pecado não se caracteriza como atitudes de atos isolados, mas como modo de viver. De onde a importância de ser fraterno e, fraternalmente, alertar o irmão ou a irmã que caminha no pecado, que vive longe do projeto divino, ajudando-o a caminhar no caminho do Senhor, que é caminho de vida.
O cuidado para que o outro não entre no caminho do pecado, que é sempre caminho de morte (23DTC-A), não nos faz melhores e nem juízes dos outros; torna-nos fraternos, próprio de quem vive a altura do Evangelho. Ou seja, vive com os mesmos sentimentos divinos para com quem me ofendeu. O 24DTC-A propõe a parábola do juiz que perdoa a dívida impagável de um servo e o mesmo servo não é capaz de perdoar uma dívida de centavos de um devedor seu. É inspiração para entendermos o Pai nosso como modo de viver: perdoar as ofensas, perdoar a dívida de amor de quem me ofendeu. Entende-se que só consegue perdoar, só consegue ser perdoador, quem tem muito amor no coração, porque somente o amor nos faz fraternos. O perdão, portanto, é um gesto de fraternidade é uma atitude fraterna.
 
A vinha do Senhor
No mês de julho, nossas celebrações foram iluminadas pela trilogia do Reino. A mesma trilogia temática retorna nas duas últimas celebrações de setembro. Se na primeira trilogia, aquela proclamada em julho, o tema do Reino era catequético — Jesus explicava em parábolas o que é o Reino de Deus — agora o tema da trilogia é o trabalho, a atividade no Reino, simbolizado no trabalho da vinha. No 25DTC-A, o Senhor da vinha passa pelas nossas ruas e praças convidando para trabalhar na sua vinha. É o convite que recebemos no dia do Batismo quando acolhemos a fé como compromisso, como dedicação e como atividade cultivadora do Evangelho na sociedade. A fé é fermento, é a luz, é sal... São Paulo, na 2ª leitura do 25DTC-A, diz que devemos viver à altura do Evangelho. Quer dizer com a fé de quem está comprometido com o projeto do Reino de Deus, comprometido em trabalhar na vinha do Senhor. Fé como empenho, como atividade. Vai na mesma linha de São Tiago: assim também a fé: se não se traduz em ações, por si só está morta.”(Tg 2,17).
O mesmo tema da fé, considerada como atividade produtiva e transformadora, encontra-se no 26DTC-A. Neste Domingo, aliás, o exemplo é mais contundente na parábola de dois filhos: um que diz que vai, mas não vai trabalhar na vinha e, outro que diz não, mas depois vai. São dois modelos de cristãos. O primeiro é aquele que cultiva uma fé cheia de boas intenções: vou fazer isso, pode contar comigo para isto, promete trabalhar na pastoral; depois não aparece. Tem fé, mas é fé apagada, sem brilho, sem efetividade. O segundo é o exemplo daquele que pode colocar alguma resistência, mas depois repensa, se arrepende, e vai trabalhar. Este é o exemplo de quem crê com atitudes. É o exemplo da fé atuante e transformadora. É a proposta de como ser cristão, de como ser cristã, em nossos dias.
Serginho Valle
Julho 2020
 
Download

VOLTAR